sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A biografia do sertão




ALSTIER BASÍLIO
Jornal da Paraíba





Mais do que um fanático ou uma raposa política, padre Cícero “é trezentos, é trezentos e cinquenta”. Trabalhar nas entrelinhas com uma série de subtemas é um dos grandes méritos do escritor e jornalista Lira Neto em sua mais recente biografia Padre Cícero – Poder, Fé e Guerra no Sertão (Companhia das Letras, 2009, R$ 49,00, 557 páginas).



Até os 40 anos, Padre Cícero era um simples pároco de aldeia, fadado ao anonimato não fossem os supostos milagres em que a hóstia se tornava em sangue ao ser oficiada a uma beata, Maria de Araújo. É esse episódio que faz de padre Cícero, Padre Cícero. As romarias que se fazem ao Juazeiro fundam uma cidade. Tudo está interligado: a fé, a cidade e a política.


(...)
Padre Cícero é, também, uma biografia de uma parte dessa grande entidade que se chama Sertão e que está em todo canto. Escrito como um roteiro de cinema e com o rigor de quem não se deixa seduzir pelo mito por saber que o fato é tão sedutor quanto.