quinta-feira, 10 de fevereiro de 2000

Padre Cícero escreve aos inquisidores



Em 10 fevereiro de 1898, Padre Cícero embarca para a Europa, com destino a Roma. Vai se defender das acusações de que era um semeador de fanatismos e um desobediente à rígida hierarquia do clero. No Vaticano, a 23 de abril, Cícero protocola na secretaria do Palácio do Santo Ofício uma carta de apresentação, escrita em português: "Como não sei italiano, deixo este papel nas mão de Vossa Eminência", informa na mensagem endereçada ao cardeal Lucido Parocchi, secretário-geral daquela congregação.

"Graças a Deus, tenho consciência de não ter cometido crime algum", defende-se. Como narra o livro "Padre Cícero: Poder, Fé e Guerra no Sertão", o sacerdote brasileiro será interrogado em cinco sessões seguidas, sempre em caráter secreto.

Nas imagens acima, a carta que Padre Cícero protocolou na secretaria do Santo Ofício. A cópia escaneada do documento encontra-se no arquivo da Diocese do Crato. O original está no Arquivo Secreto do Vaticano. Clique nas imagens para vê-las em tamanho maior.