terça-feira, 28 de outubro de 2014

De volta a Ouro Preto


Bom estar de volta à belíssima e acolhedora Ouro Preto, agora para participar do já tradicional Fórum das Letras, que nesta edição tem como tema geral o mote “Escritas em transe: 50 anos do golpe militar, 30 anos das Diretas-Já”.

O evento reunirá na cidade, durante toda a semana, um time de autores e jornalistas de primeira linha, a exemplo de Audálio Dantas, Eric Nepomuceno, Fabrício Carpinejar, Fernando Morais, Frei Betto, Geneton Moraes Neto, Leonardo Sakamoto, José Castello, Heloísa Starling, Manuel da Costa Pinto, Mário Magalhães, Mário Prata, Paulo Markun e Ricardo Kotscho, entre muitos outros.

Vai ser um prazer encontrar tanta gente boa, rever diletos colegas e velhos amigos.

Para mim, de modo específico, além do fato de me sentir honrado por ter sido convidado para compor uma programação tão seleta, o retorno a Ouro Preto tem outro significado especial.

A cidade foi, há seis anos, um dos meus primeiros destinos logo no início da pesquisa que resultou nos três volumes da biografia do ex-presidente Getúlio Vargas.

Pouco depois de ter ido a São Borja, no Rio Grande do Sul, para conhecer a terra onde nasceu o biografado, vim a Ouro Preto em busca dos rastros históricos de um menino chamado Getúlio, então aluno do Ginásio Mineiro.

Foi no acervo do Museu Casa dos Contos, aliás, que tive acesso à íntegra do inquérito policial a respeito da morte do estudante paulista Carlos de Almeida Prado, o Caíto, morto por uma bala disparada pelo irmão mais velho de Getúlio, Viriato Vargas, em 1897, numa rua de Ouro Preto.

Como vim direto de Belo Horizonte, onde participei ontem do Sempre um Papo, acabei chegando um dia antes da abertura oficial do Fórum das Letras. 

Assim, aproveitei a tarde de folga para bater perna pelas ruas e ladeiras da cidade, com a máquina fotográfica a tiracolo, matando a saudade destes cenários formidáveis, onde cada janela, cada beiral, cada pedra de calçamento, cada igreja que encontramos pelo caminho nos conta uma história recheada de emoções, injustiças, heroísmos, intrigas, gritos de liberdade e traições.